terça-feira, 1 de abril de 2008

O sol em mim


Eu hoje me vesti de sol só pra brilhar em você,

Não quero ficar na sombra desse amor que me consome,

Preciso sentir minha luz em você ao menos uma vez.

Hoje quero ser o sol em mim... Meu astro-rei imaginário,

Quero gerar meu próprio calor, alimentar minha simbiose,

Produzir meu oxigênio e realizar a fotossíntese que me nutre.

Eu hoje me vesti de sol, para brilhar sem você,

Não que eu queira caminhar sozinha,

Mas porque é necessário que ambos possamos iluminar,

Não quero ser como a serpente que inveja o vaga-lume,

Jamais serei predadora do brilho do teu olhar.

Posso ser caçadora de mim, e lá no fundo te buscar,

Pois sinto-o arraigado em meu ser,

Como se vivêssemos uma relação tácita,

Hospedeiro do meu amor...

Eu hoje me vesti de sol, para te ensinar a brilhar,

Mostrarei a você cada estrela oculta,

Nos raios do meu intenso amor.

Viverei para te iluminar,

Mesmo quando a sua estrela se apagar.

Hoje, eu me vesti de sol,

E sei que jamais deixarei de te iluminar,

Assim como sempre será,

O combustível a me alimentar.

Criatura e criador,

Caça e caçador,

Musa e compositor,

Sol e Lua, eclipse do amor...


Texto: Akasha De Lioncourt

Foto: Salih Guler


1 comentário:

Akasha De Lioncourt disse...

Olá! Que surpresa boa ver minha prosa poética no seu blog! Agradeço o carinho!

Beijos,

Akasha De Lioncourt